terça-feira, 23 de novembro de 2010

Porque EU?

E porque NÃO eu?

A gente tem como hábito na dor, questionar e sempre perguntar "Porque aconteceu comigo?"
É claro que isso passou pela minha cabeça, afinal, era a segunda vez que a gravidez não ia pra frente...mas isso durou ,sei lá , 2 segundos...

A questão é que quando engravidei do Pedro me lembrei de uma vez ter rezado e pedido à Deus que me desse um filho, que eu aceitaria o espírito que ele mandasse, que aceitaria a decisão dele e quando tudo aconteceu, lembrei do meu pedido. E fiquei feliz. Feliz porque fui atendida e pude ajudar que esse espírito cumprisse a sua missão.

A vinda do Pedro e sua passagem curta na terra foi transformadora na minha vida. Pode parecer cedo demais pra dizer, mas sou outra pessoa.

Passei a ver que tinha picuínhas, pensamentos babacas e me importava com coisas infinitamente sem importância, gastando meu tempo e minha energia com o que tinha de mais pequeno e sem relevância.

Estou totalmente resignada, aceitando a minha história e o que a vida me dá. Tive que passar por essa provação? Então bora lá passar da maneira mais fácil que é aceitando .

Dói muito e vai doer pra sempre como já disse, mas é uma dor de saudade. Fui mãe mas não vivi a maternidade e é isso que dó, a saudade do que AINDA não vivi.    
  

4 comentários:

Mercia disse...

Olá!
Gostaria de agradecer a visitinha lá no meu blog! Vou seguir a dica do picolé de limão!!
Vi suas postagens e fiquei muito comovida, que Deus te abençoe a superar essa barra o mais rápido possivel.
Abraços

Ana Hoffmann disse...

Oh Princesinha... Como eu chorei... de soluçar... imagino a sua dor, imagino menos de 1/3...
Eu tbm tenho SOP e o Luquinhas é a materialização do amor de DEUS por mim.
Lucas não estava nos meus planos daquele momento. Mas sempre fez parte dos meus sonhos. Foi feito em uma tarde as pressas...rs... Sem saber que eu estava grávida, na época tomava fortes remédios para emagrecer e ainda praticava tae kwon do e com isso recebia muitos chutes no abdomen. Cheguei a tomar um chá para emagrecer que era abortivo. Só descobri a gravides com quase 2 meses já q a minha menstruação nunca foi regular. Qdo soube de gravidez não sabia de chorava ou sorria. Fique com medo do meu anjo vir com "defeitos" genéticos por conta das minhas medicações. Qdo fiz a minha primeira ultra 3D a primeira coisa que fiz foi contar qtos dedos ele tinhas nas maos e pés...kkk... E até o nascimento fiquei com medo dele ter alguma complicação.
Aos 6 meses e meio meu anjo deu sinais que queria nascer. Assim como vc, senti muitas dores nas costas e uma coliquinha... E disse ao meu marido "Mô acho que fiz xixi nas calças". Mas não era xixi, era liquido aminiotico. Corremos pro médico que após me examinar, pediu para conversar com o meu marido e minha mãe no canto, sem mim... Esta com pré eclampsia grave. A partir daquele momento eu não poderia mais fazer esforço algum senão iria entrar em trabalho de parto. Fiquei deitada até o 9º mes de gestação, tomando injeções e remédios que fortaleceria o pulmão do meu principe. Era o médico que iria a minha casa. Comprei um estetoscópio para tentar ouvir as batidas do coração dele. Ele não se mexia a semanas. E eu tensa. Qdo fui para a sala de parto já estava com dilatação para dar a luz, mas não poderia ser normal pelo risco. Então foi cesária. Qdo o meu amor nasceu vi que ele era lindo, pefeito, mais do que eu poderia sonhar... DEUS é fiel!
Hoje estou tentando engravidar há 4 anos.... Há uns 3 anos engravidei e perdi no 2 mes por conta do meu "amado" ovário estou tendo dificuldades. Já fiz esses exames todos que vc fez.. Mas nada! Porém aprendi que o TEMPO de DEUS não é o nosso TEMPO... Lucas veio no tempo de JESUS, meu outros bbzinho tbm virá!

Margarida na Janela disse...

Obrigada pelas dicas, vale a pena entupir o maridão de vitaminas pra ver se dá uma turbinada nesses peixinhos preguiçosos! Querida, lamento muito por tudo o que aconteceu contigo, estarei orando por você. Beijos

Ana Hoffmann disse...

Linda, estarei orando porvc, pela sua familia. Não sei a sua religião, mas leia o que eu li para me foratecer :

Raquel. Ela era estéril e era infeliz. Enquanto sua irmã Lia dava muitos filhos a Jacó, ela não podia ter filhos. O seu desespero se tornou tão intenso que ela chegou junto a Jacó e disse: "Dá-me filhos, se não morro. Então se acendeu a ira de Jacó contra Raquel e disse: Estou eu no lugar de Deus, que te impediu o fruto do teu ventre?" (Gênesis 30:1b-2).
Assim como Sara que deu sua serva Agar para ter um filho com Abraão, Raquel não esperou no Senhor e deu sua serva Bila a Jacó. Ele, então, teve dela dois filhos - Dã e Naftali.

Muitas vezes, nós fazemos como Raquel e Sara. Não esperamos o tempo do Senhor e procuramos resolver nossos problemas com nossa "sabedoria". Achamos que não precisamos do Senhor e, quando tudo dá errado, é que nos lembramos que temos um Deus que tem um plano perfeito para a nossa vida. Não sejamos, irmãs, impetuosas mas tenhamos um espírito que descansa no Senhor e que entrega todas as coisas em Suas mãos.

Mas, apesar da impaciência de Raquel, a Bíblia nos diz: "E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre" (Gênesis 30:22).

Raquel, finalmente, pôde dar um filho a Jacó que, no futuro, seria uma bênção para toda a sua família. O seu nome era José.

Vendo este quadro da vida de Raquel, podemos ver quão grande é o amor de Deus por nós. Apesar da nossa desobediência, da nossa infidelidade, Deus é fiel, nos ama e dá a Sua graça. E, podemos ver, que Ele nos ama, não porque somos bons mas porque Ele é bom e fiel.
Irmãs, não é bom sermos filhas deste Deus maravilhoso?

Raquel teve uma vida de espera. Ela esperou:
1- Quatorze anos para se casar com o homem da sua vida;
2- Muitos anos, até Deus, no Seu tempo, abrir a sua madre.

Talvez estes momentos de tribulação da sua vida fizeram-na se achegar mais ao Senhor. Por causa do sofrimento, podemos olhar para a sua vida e aprender com ela duas coisas que devem fazer parte da vida da mulher crente que deseja ser segundo o coração de Deus:
1- Ela teve uma vida de oração que deve ser seguida por cada uma de nós. A oração nos leva até o trono de Deus, onde podemos derramar nossas preocupações, problemas e amarguras que são transformados em uma canção de júbilo e louvor ao Senhor.
A oração nos faz depender do Senhor e nos transforma em mulheres humildes e carentes do Senhor.
2- Ela teve uma vida de fé que deve ser seguida por cada uma de nós.
Colocar no seu primeiro filho o nome de José que significa 'Deus acrescentará' é, realmente, um ato de fé, uma vez que ela tinha dificuldade de engravidar.

A Bíblia nos diz em Hebreus 11:1 o seguinte: "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem."

Beijinhos